Quando o trabalho ameaça a vida do trabalhador?


Estresse físico e psicológico no trabalho


Para muitos essa pergunta pode parecer estranha, afinal o trabalho primeiramente é visto como uma maneira de manter sua vida financeira e em sequência como realização. Mas para o começo de carreira, toda contratação é uma aprendizagem em que vamos nos encontrando e realinhando a vida profissional. Hoje, sabemos que as características do mercado mudaram muito em comparação a geração Baby Boom. Antes o empregado buscava estabilidade e segurança no trabalho, um emprego para se aposentar e em pleno século XXI, nossa realidade é totalmente diferente. Dificilmente você encontrará um jovem que busque um emprego para se aposentar e sim, encontrará alguém que queira empreender e ter o seu próprio negócio, até mesmo pelas mudanças que estão acontecendo na previdência. No entanto, o que queremos pontuar é a cobrança excessiva que ocorre tanto na área profissional pelo melhor desempenho, quanto familiar e o que isso está acarretando a nossa saúde emocional. Não é novidade, mas os casos de burnout vem crescendo a cada dia no mercado. Mas o que é burnout? A síndrome de burnout é um distúrbio psíquico que ocorre por estresse e tensão emocional em condições de trabalho desgastantes e desemprego. As profissões mais afetadas pela síndrome são: bombeiros, policiais, professores, agentes de saúde, agentes penitenciários, recursos humanos, anestesistas e mulheres com dupla jornada. Todos os trabalhos exigem uma meta de desempenho que muitas vezes é cobrada por múltiplas funções e carga horária excessivas que levam ao esgotamento físico e psíquico. A síndrome de burnout tem algumas características que podem nos levar a identificá-la como: Isolamento, agressividade, ausência no trabalho, dificuldade de concentração, depressão, lapsos de memória, baixa autoestima, pessimismo, palpitação, crises de asma, enxaqueca, dores musculares, insônia e distúrbios gástricos. Em muitos casos o uso do álcool é considerado como solução paliativa, porém os médicos indicam dependendo da gravidade do paciente remédios antidepressivos, exercícios físicos e psicoterapia. Assim, caso tenha se identificado com algumas características da síndrome busque um profissional para melhor orientá-lo, pois o fundamental é achar equilíbrio entre a vida particular e profissional.


Aline da Silva

Gerente de Projetos

#doresmusculares #exerciciosfisicos #estressefisico #baixaautoestima #sindromedeburnout #irritabilidade #estressepsicologico #depressão

1 visualização
Transformador Digital

Juliano Kimura

(11) 996 936 340

©2020 por Juliano Kimura - Transformador Digital - juliano@trianons.com.br
CPF - 298.370.138-77
Rua Cardeal Arcoverde, 928 - Pinheiros - SP