top of page

Business Model 3.0: O Modelo de Negócios para comunidades colaborativas

Atualizado: 25 de abr. de 2023



A construção de um modelo de negócios de comunidade colaborativo foi fruto de um trabalho de 20 anos de experiência estudando e observado as relações humanas em projetos de colaboração.


É importante reforçar que o conceito de descentralização e de redes distribuídas é extremamente importante para a INTERNET.


O próprio conceito da não-propriedade da internet é a essência base da própria internet.


A internet não poderia existir se tivesse um DONO ou um órgão centralizador. A adoção das faculdades e o estouro da bolha da internet foi um movimento importante que traz benefícios para a humanidade. Sua discussão sobre adoção foi pauta por quase cinco décadas.

Podemos considerar Web3 como uma evolução natural da Internet.

Pelo mesmo período de tempo, cinco décadas, estamos discutindo quais serão as "regras" deste novo jogo. Visto que a base atual vem sendo construída por desde a antiguidade da raça humana, podemos considerar mais de 5.000 anos desde a antiguidade e as primeiras moedas de metal ou mesmo considerando as revoluções mais modernas na economia mundial, considerando títulos, moeda-papel e surgimento dos bancos centrais, podemos considerar cerca de 500 anos.

É plausível afirmar que os avanços tecnológicos das últimas 5 décadas são apenas um sinal inicial do impacto da tecnologia na economia mundial e nos seres humanos.


Dessa forma, ainda dentro destas cinco décadas, podemos dizer que a tecnologia permitiu a criação de mecânicas e novos modelos de negócios que eram inexistentes ou que modelos de negócios não escaláveis e tradicionais ganharam uma nova abordagem com o advento da internet.


O base do modelo econômico atual promove a COMPETIÇÃO.

Não que a competição seja algo negativo, a competição por várias razões é força motriz para melhora de qualidade e eficiência. Porém, o cenário atual cada vez mais competitivo vem demandando cada vez mais esforços e cada vez mais competitividade. Sendo um modelo que promove mais a desunião do que a união.

Porém, a internet e sua cultura colaborativa traz um novo modelo descentralizado que permite dividir e conquistas.


A internet demanda mais colaboração e conexões, promovendo o sucesso econômico com base em conexões e desobstrução de fluxo.

A palavra Crowdfunding ou Crowdsourcing durante o ápice da Web2 foi a palavra da vez, juntinho com palavras como Nuvem (Cloud). Há quase 20 anos esse movimento aconteceu de forma invisível e tomou conta da internet sem ninguém sequer perceber ou mesmo prestar atenção nessa palavras CrowdFunding ou CrowdSourcing.

As coisas agora acontecem com uma velocidade muito maior.

Durante esse período vimos muitos modelos de negócio caírem e deixarem de existir para que novas empresas e novos modelos de negócio tomassem seus lugares de forma silenciosa.

Foi uma mudança anunciada uma vez e que vai acontecer novamente durante a transação da web2.0 para a web3.




O que é o Business Model 3.0 (Modelo de negócios de comunidades colaborativas) ?

Um modelo de negócios 3.0 baseado na economia tokenizada é uma forma de criar e distribuir valor entre membros de uma comunidade colaborativa. Nesse modelo, a comunidade é composta por produtores e consumidores que se envolvem em atividades colaborativas, como co-criação, compartilhamento de recursos, feedback e suporte mútuo.


Os tokens são criados como uma forma de representar o valor gerado pela comunidade, e podem ser usados ​​como moeda de troca dentro do ecossistema. Eles permitem que os membros sejam recompensados ​​por suas contribuições, incentivando-os a se envolver ainda mais e a aumentar o valor gerado pela comunidade.


Em resumo, um modelo de negócios 3.0 baseado na economia tokenizada é uma forma inovadora de criar e distribuir valor dentro de uma comunidade colaborativa. Ele permite que os membros sejam recompensados ​​por suas contribuições, democratiza a governança da comunidade e ajuda a torná-la mais sustentável financeiramente.




O que NÃO funciona nas comunidades colaborativas?

A construção da comunidade com base na distribuição de trabalho ou tempo dedicado. Todo o trabalho dedicado é contabilizado e somado em uma grande quantidade de Ônus e não de Bônus. Se toda a comunidade contabilizar o tempo dedicado ao projeto, a soma será um grande número NEGATIVO.

Visto que vários projetos que tomam como base as DORES de cada individuo da comunidade, o resultado inicial é um grande conglomerado de pessoas com DORES. E caso não tenha um plano muito bem estruturado para resolução e soma de valor, é bem provável que essa comunidade não tenha perspectivas de crescimento visto que não Há construção de valor imediato da comunidade para a comunidade.


Para ilustrar melhor essa parte, basta imaginar um grande formigueiro.

Se cada formiga, precisa de um grão de areia para sobreviver; a formiga vai retirar o grão do formigueiro e vai deixar o formigueiro menor.

Se cada formiga, trouxer um grão de areia para sobreviver, mas na sequência retirar um grão para sobreviver o formigueiro não aumenta. Ou seja, o formigueiro não cresce.



Agora de cada formiga, trouxer mais grãos de areia para o formigueiro e o formigueiro dá ferramentas para que a formiga traga mais grãos. O formigueiro sempre vai crescer.


O que funciona nas comunidades colaborativas?

A divisão de sucesso é a principal métrica para divisão de valores entre a comunidade. Visto que os membros da comunidade estarão agindo orientados pela geração de valor e não pelo esforço ou tempo dedicado.

Porém, uma nova abordagem de comunidade baseada em resultados e construção de valor pode ser essencial cultivar uma comunidade.





O que não funciona nas comunidades colaborativas? Descentralização Total e modelos "Poça de Sangue"


Durante anos estudando sobre modelos colaborativos, há um modelo caótico e utópico que chamo de modelo "poça de sangue".

Esse modelo de colaboração sem hierarquia e "totalmente" descentralizado é um modelo que funciona para poucos. Ou que não funciona, por estar imerso em um ambiente de não-colaboração.

Esse modelo que podemos chamar de modelo de comunidade e colaboração 100% orgânico, é um cenário utópico e caótico onde seria necessário grande entendimento e TODAS as partes para ser algo real. Ou seja, TODAS as partes precisam ter consciência de como é colaborar em um ambiente que te dá 100% de autonomia.

Esse modelo se assemelha a uma grande poça de sangue com vários membros atores procurando fazer parte e colaborar com a sobrevivência do "Ecossistema". Aliás, palavra trends adotada pela Web3 que quer dizer tudo e, ao mesmo tempo, não quer dizer nada.

Isso acontece principalmente, pelo fato do ecossistema ter sobreviver e que ainda não há ambiente propicio para que o ecossistema realmente exista. Já que todo mundo está tentando sobreviver e que as colaborações ainda tem regras para desobstruir o fluxo entre os atores.

Dessa forma, estamos vivendo uma grande AMEBA digital. Ainda na sua fase inicial onde os atores ainda não sabem bem seus papéis.

Podemos dizer que ecossistema forte e bem estruturada tem papéis bem definidos em toda sua estrutura e todos os atores estão se conectando desempenhando seus papéis para TODO o ecossistema se manter.

Ainda que as comunidades continuem evoluindo de forma orgânica, ainda há um grande risco para a comunidade que é manter a estrutura da comunidade longe de parasitas e qualquer tipo de atividade que possa colocar em risco a vida da comunidade.

Dessa forma a comunidade precisa se AUTO regular de forma rápida e eficiente, eliminando rapidamente qualquer individuo que possa causar danos a comunidade. Também é muito simplista dizer que aqueles que podem causar dano são apenas os parasitas, mas também pessoas que acabem tentando MUDAR de alguma forma estrutura ou processo.

Ou seja, podemos considerar um parasita alguém se apenas SUGA e não soma nada pra comunidade.

E podemos considerar alguém que tente mudar a estrutura uma potencial doença ou anomalia genética. Que pode fortalecer a estrutura, ao invés de enfraquecer.

Também, podemos dizer que é igualmente difícil identificar detratores e promotores. Sabendo que ambos podem ter algo engajamento e que TALVEZ o objetivo de ambos é fazer parte da comunidade e que ambos acreditam que sabem o que é MELHOR pra comunidade.


Como o Business Model 3.0 (Modelo de negócios de comunidades colaborativas) foi construído?


Não há total compreensão, mas viver o processo é muito maior que ler sobre o processo colaborativo.

A primeira impressão que você tem sobre economia da abundância ou geração de resultados em rede pode soar um tipo de seita ou até algo futurista demais para nossa realidade atual.

A descentralização é um modelo complexo, principalmente por ser formado por pessoas.

Pessoas fazem negócios e tem preocupações e valores diferentes uma das outras.


Quanto mais conexões geramos, maior é o fluxo de valores e isso determina nosso valor em uma sociedade da vez mais conectada.

Meu conhecimento sobre a transformação digital com as redes sociais tem inicio em meados de 2004, já atuando com redes sociais em empresas na época do ORKUT.

Quanto maior era o tamanho da comunidade, maior era seu valor.

O mesmo fenômeno se repete com as páginas do Facebook e, posteriormente, com grupos de Facebook.

Na sequência, vimos o próprio Youtube virar o segundo maior buscador da internet e mostrar que aqueles que produzem vídeos podem deter o poder.

Em mais de duas décadas, vimos consumidores virarem produtores de conteúdo e na Web3 acreditamos que tudo será ainda maior e mais evidente.

Em um primeiro momento acreditávamos que a internet traria um fenômeno chamado Globalização. Os anos provaram que a Globalização foi uma grande mentira e se provou ainda mais errada quando vivemos cada vez mais em bolhas isoladas de informações.

A internet não tornou o mundo mais parecido, pelo contrário, tornou as diferenças entre as pessoas ainda mais evidente.


Com uma geração inteira de criadores de conteúdo que são simultaneamente consumidores de conteúdo, estamos vendo um movimento de pessoas serem o próprio meio. Micro Influenciadores e a economia dos criadores de conteúdo é um movimento que vem se provando sólido e cada vez mais evidente. Com uma forte tendência de tudo ser Micro e Nano Influenciadores, já que o poder retorna ao povo com a Web3.



Dessa forma, hoje comercializamos atenção. Quem tem mais atenção tem mais poder.

Mais Seguidores, mais visualizações, mais métricas de vaidade...

Um dos influenciadores que abriu meus olhos para esse trabalho sólido com a comunidade é o influenciador Gaulês , livestreamer brasileiro pioneiro e considerado um dos maiores do mundo.

Foi assistindo uma entrevista do Gaulês que percebi de forma simples essa força da comunidade.

Quando ele diz que tudo o que vem conquistando, vem devolvendo metade para a própria comunidade como forma de recompensa por estar acompanhando sua trajetória. Ainda sem muitas ferramentas que a web3 dá, Gaulês praticamente "Tokenizou" seu sucesso e começou a distribuir sucesso com sua comunidade.


Dessa forma, essa descentralização toda foi tomando forma em um modelo de negócios 3.0 que permite a transferência de valor entre as pessoas que formam a comunidade.

Esse modelo de negócios, me mostrou um caminho que poderia ser adaptado para praticamente qualquer tipo de negócio.

Esse modelo pode sofrer alterações e adaptar sua matemática para qualquer tipo de empresa seja de serviço ou de produtos. Esse modelo considera divisão sobre sucesso.


Quem possui a comunidade funciona como uma espécie de Guardião da Organização. Primeiro ponto que vocês devem prestar atenção e que: A Comunidade precisa ter regras que serão obedecidas por todos, sendo uma exceção que a regra não pode colocar em risco a própria comunidade.

Dividir o sucesso é uma forma de manter todos os atores direcionados ao Sucesso.

Isso significa que não importa qual o trabalho estejam exercendo, todos devem se comprometer com o Sucesso.

A ideia principal é que se todos estão trazendo sucesso através da comunidade, todos estão somando e gerando valor para comunidade. Gerando valor REAL.


O trabalho dedicado ou recursos consumidos neste caso não são somados, pois todos tem despesas diferentes e impossíveis de serem qualificadas como mais despesa ou menos despesa.



Dessa forma, em uma comunidade muitas vezes as pessoas podem RECLAMAR valor por terem trabalhado. Vejo muitas comunidades acabando exatamente neste estágio.

Porém, podemos ver isso de dois aspectos diferentes.


Número 01 - As pessoas estão trabalhando demais e não estão gerando valor financeiro para a comunidade e consequentemente para si próprio.


Número 02 - Não há registro para saber quando esta pessoa está trazendo sucesso para a comunidade. Sem registro, esse esforço todo não possui um TOKEN equivalente para resgate desse sucesso.


Podemos considerar também que a pessoa não tem o conhecimento mínimo necessário para gerar valor e/ou está executando um trabalho improdutivo que não gera valor para a comunidade.

Neste ponto batemos em um dos três pilares da comunidade.

- Onboarding e/ou Base de Conhecimento (Knowledge base)


Durante a fase de onboarding é importante que as pessoas estejam alinhadas com o funcionamento da própria comunidade e que as mesmas consigam encontrar as ferramentas necessárias para fazer parte da comunidade.

O ONBOARDING AO MODELO DE NEGÓCIOS DE COMUNIDADES COLABORATIVAS: BUSINESS MODEL WEB3

Ponto de aprendizado importante

O Onboarding é um processo continuo e de multifases. São multiplas camadas da comunidade.

As pessoas podem estar em diferentes estágios da comunidade.

É preciso aceitar que todas as pessoas dentro da comunidade são DIFERENTES.

Tratar todas as pessoas da comunidade como sendo IGUAIS é completamente errado, pois vi muitas comunidades tratando uma pessoa recém chegada na comunidade IGUAL a quem já estava há muito tempo colaborando na comunidade.

Assim como há pessoas com: diferentes níveis, diferentes habilidades e diferentes competências de como podem colaborar. Tratar todos iguais é o caminho mais fácil para fracassar.


Dessa forma, podemos ter ferramentas para conseguir qualificar como cada pessoa numa comunidade pode contribuir. Ainda sem entrar no mérito da qualidade da sua contribuição.

Outro ponto muito sensível, já que algumas entregas de valor são subjetivas e quanto mais subjetiva é, mais difícil é de avaliar seu resultado.


Uma das possíveis soluções pra isso acontecer é deixar que a comunidade colabore de forma aberta. Vamos dar um exemplo de um ilustrador. Um ilustrador pode fazer uma arte para o projeto, mas é difícil dizer qual ilustrador faz uma arte melhor e qual soma mais valor. Então, é possível que os ilustradores enviem seus trabalhos e que a comunidade realize a votação dentro de um número de ilustradores pré-selecionados.


Outro ponto importante deste modelo de negócios 3.0 é saber que TOKENS é um conceito

A Tradução mais literal de TOKEN é Ficha.

O principal ponto é saber que as fichas podem ter além de valor diferente, obedecerem conjuntos de regras totalmente diferente. Da sua aquisição até sua venda e TODAS as mecânicas envolvidas no Token.


COLAB TOKEN, o que seria e como pode ser utilizado?

Um TOKEN pode ser trocado e receber diferentes UTILIDADES. Podendo ser trocado por serviços, produtos e até dinheiro.

O Token da Comunidade pode ser utilizado para somar valor para os próprios membros da comunidade e pode ter diferentes UTILIDADES.

  • Resgatar brindes

  • Resgatar produtos e serviços

  • Fazer Stake

  • Elegibilidade - Quantidades mínimas tornam a pessoa elegível para _______

  • Resgatar Cursos

  • Trocar por NFT´s especiais

  • Participar de Eventos

  • Resgate de Quantidade em Dinheiro do Tesouro da Comunidade

  • Negociar com outros membros da Comunidade

O sistema de elegibilidade também pode requisitar que o participante atenda uma série de requisitos para participar da comunidade ou crescer dentro da comunidade.



Primeiro Desenho - Business Model 3.0: Modelo de negócios para comunidades Colaborativas


Business Model 3.0: Modelo de Negócios para Comunidade Colaborativa

Podemos considerar que o modelo não é um modelo 100% a prova de fecha, principalmente, pela sua constituição ser 90% da comunidade e menos de 10% ser a base de tecnologia. A tecnologia é um mero meio para que a comunidade aconteça.

Podemos citar dezenas de ferramentas diferentes para realizar o trabalho de comunidade e governança. Também reforço que um modelo desse precisa funcionar bem em uma planilha ou na Web2 antes de se tornar um plataforma Web3. A plataforma em si pode fornecer o meio para comunidade existir, mas é apenas uma parte da comunidade.


Ferramentas para Gestão de Comunidade Colaborativa em Modelo de Negócios 3.0

Abaixo segue alguns exemplos de Ferramentas de Comunidade

  • Discord (Web2)

  • Discord com Bot Web3 (Web3)

  • Charmverse (Web3) / AKA Notion Web3

  • Aragorn (Web3)

  • Snapshot (Web3)


O conceito é muito simples e permite que as pessoas possam fazer escolhas responsáveis sobre a comunidade.

Uma pessoa poderia queimar todos os seus Tokens retirando todo o dinheiro parcial do Tesouro da comunidade, mas isso também pode causar um Ônus na comunidade e também causar um ônus a si próprio. Se no mecanismo da comunidade, ter uma quantidade de Tokens na carteira pode tornar a pessoa elegível, ela pode perder elegibilidade caso leve sua carteira a ZERO.

Dessa forma, a pessoa precisa sempre manter uma quantidade de Tokens que estrategicamente faça a pessoa ter elegibilidade para participar mais da comunidade em cargos e funções mais altas.


Uma das fórmulas que faz parte do modelo de negócios 3.0 é a construção do Tesouro e sua regra para retirada da comunidade.

O valor do Token sempre é uma parte do Tesouro da Comunidade. O Token da comunidade neste modelo de negócios, não considera a VENDA de Tokens nem Airdrop de Tokens. A explicação pra isso é muito simples, colocar tokens em circulação vai diminuir muito valor de cada token e também a proporção de divisão torna INJUSTA quem pode comprar mais tokens na fase inicial pode INVALIDAR totalmente os esforços de quem está tentando construir a comunidade.

Por essa razão, é aconselhável, NÃO VENDER tokens de engajamento da comunidade pra não quebrar a balança de engajamento, sucesso e dinheiro.


A fase inicial também possui um cuidado extra com a aquisição e construção do tesouro, assim como sua retirada. As regras de construção do tesouro e a retirada do tesouro precisam estar muito bem estruturadas para que a comunidade consiga crescer de forma saudável.


Exemplos de Aplicações do Business Model 3.0: Modelo de negócios de Comunidade Colaborativa
Evento de Cultura Geek com Modelo de negócios de Comunidade Colaborativa

Um evento de Cultura Geek com Inovação.

A principal métrica de sucesso da comunidade é: Ingressos Vendidos

Um ingresso vendido sempre é atribuído de um a três parceiros. Ou seja, os parceiros recebem de um a três tokens por ingresso vendido.

Várias comunidades e lideranças da comunidade são convidados a fazer parte deste modelo de negócios com essa divisão por Tokens.


Posteriormente os Tokens poderão ser trocados por diferentes valores dentro da comunidade, inclusive trocar por dinheiro.


Time de E-sportes com Modelo de negócios de Comunidade Colaborativa

Os títulos do clube são emitidos por NFT´s e os tokens são atribuidos em formato de participação com o Clube. Os membros do Grupo podem acumular Tokens ou resgatar seus tokens trocando por: atividades, produtos , serviços, brindes e participação em eventos especiais.



Status do Business Model 3.0 - Modelos de negócios de Comunidades Colaborativas na versão Alpha ver1.1

O Business Model 3.0 é um trabalho em andamento que iniciei em Junho de 2021. Durante o processo criativo esse documento passou por um processo de construção que resume mais de 20 anos de operação em ambiente CO (Colaborativo, Comunidade, Co-Criação, CO).

Para continuar recebendo essas atualizações, recomendo a entrada no Grupo de Whatsapp e fazer um cadastro no site para receber as atualizações de publicação.


Versão 001 da Apresentação do Business Model 3.0 - Modelo de negócios para Comunidades Colaborativas de Juliano Kimura


https://gotas.social/gota/1682451605963x855360593060954100 Código SEMANATDJK001

249 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page